Publicidade
Publicidade
Coreia do Norte testa míssil lançado de submarino

A agência diz que o líder Kim Jong-un enviou “felicitações” às unidades de pesquisa

Notícias ao Minuto

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – A Coreia do Norte testou com sucesso um míssil balístico lançado a partir de um submarino, informou a agência oficial norte-coreana KCNA nesta quinta-feira (3), dois dias depois do anúncio de que Pyongyang e Washington retomarão negociações sobre o tema nuclear ainda nesta semana. A KCNA identificou o míssil como um Pukguksong 3, um vetor balístico mar-terra (SLBM).

Foto tirada na quarta (2) e divulgada nesta quinta pela agência norte-coreana KCNA mostra o teste do míssil Pukguksong-3 nas águas da baía de Wonsan “Este novo tipo de míssil balístico foi lançado na vertical” na quarta-feira a partir de águas próximas à baía de Wonsan, informou a agência norte-coreana.

A agência diz que o líder Kim Jong-un enviou “felicitações” às unidades de pesquisa e desenvolvimento que participaram do lançamento, que “não teve impacto adverso na segurança dos países vizinhos”.

O lançamento “marca o começo de uma nova fase” para se enfrentar as “ameaças” contra a Coreia do Norte e “reforça ainda mais sua força militar para a autodefesa”, afirmou a KCNA.

De acordo com resoluções do Conselho de Segurança da ONU, a Coreia do Norte não pode realizar testes de mísseis balísticos. Diplomatas disseram à Reuters que o conselho deve se reunir a portas fechadas nesta sexta (4) para discutir o tema, após uma solicitação da Alemanha com o apoio do Reino Unido e da França. Segundo o Japão, um míssil lançado na véspera caiu nas águas de sua zona econômica exclusiva.

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, instruiu seus ministros a investigar o que aconteceu, segundo fontes oficiais. Em um breve contato com a imprensa, o próprio Abe apontou que “o lançamento de mísseis balísticos viola as resoluções do Conselho de Segurança da ONU e, portanto, nós o condenamos e expressamos nosso firme protesto”.

Um porta-voz do departamento americano de Estado pediu à Coreia do Norte que “se abstenha de provocações” e permaneça “comprometida com negociações substanciais e duradouras” que tragam estabilidade e desnuclearização. 

Compartilhar:
Comentar:
*Publicidade